Dê o Melhor de Sí

Nenhum Comentário

untitled

 

Recentemente fui servido por um garçom mal-educado. Sua linguagem corporal dizia mais ou menos o seguinte: ?quem mandou você vir a este restaurante??.

Ele demorou para me trazer um cappuccino e, quando chegou, metade estava no pires.

Conversando, eu lhe perguntei sobre seu trabalho e seu patrão.

E ele disse: “É claro que não quero trabalhar para esse cretino o resto da vida?.

Infelizmente o garçom esqueceu um aspecto importante da vida no local de trabalho: a gente não trabalha para o patrão, trabalha para si mesmo.

Quando você só dá 50 por cento do seu esforço, acaba sofrendo muito mais do que o patrão.

Este, quando muito, sai perdendo algum dinheiro.

Você perde o entusiasmo e a auto-estima, além de um bom pedaço da vida.

Algumas pessoas acreditam que há coisas ?boas? e coisas ?ruins? para fazer na vida. Não é assim.

Uma pessoa inteligente torna interessante sua vida e o seu trabalho…

Em poucas palavras: você dá o melhor de si não porque precisa impressionar as pessoas.

Dá o melhor porque é a única maneira de gostar de sua vida.

Compartilhe:

Para Tudo Há Um Tempo

untitled

 

Para tudo há um tempo em nossa vida… E a grande sabedoria é viver cada tempo com sua realidade, aceitando o que não pode ser mudado… Há um tempo de se sonhar, de acreditar no sonho e lutar por ele… Há um tempo de se desencantar porque o sonho não se realizou apesar da fé, apesar da esperança.

No tempo de desencantar é impossível não sofrer… Porque o sofrer assim como os sonhos são partes iguais na soma dos fatos que fazem nossa vida… E no tempo de sofrer vale assumir a dor, senti-la bem fundo sem medo de morrer por ela. Vale assim a dor porque ao contrário seria fugir à realidade… E fugir à realidade não ajuda vencer o tempo que nos faz sofrer…

Dentro da realidade do sofrer, a gente mergulha bem fundo sem contudo perder o contato com a esperança de poder sonhar de novo… O tempo de sofrer não pode sufocar em nosso coração aquela velha certeza de que Deus, sabendo das mágoas, inventou o tempo… O tempo que transforma e muda realidades, e faz da lágrima de hoje o riso de amanhã.

Por isto no tempo de sofrer, é preciso sabedoria de aceitar os fatos com a serenidade de quem já viveu outros tempos de dor, de mágoas e continuou vivendo com determinação e coragem. O tempo de sofrer é apenas um espaço onde se aprende a crescer, a vencer as próprias limitações e as próprias contingências.

Tempo de sofrer é apenas um espaço onde se conhece as próprias forças de criar novos sonhos, semear novas esperanças e cultivar a fé. Porque a vida é feita de muitos tempos que se sucedem em nossos dias…

Compartilhe:

Nenhum Comentário

A Pena e o Camelo

untitled

 

Às vezes nos irritamos com reações exageradas de nosso próximo. Fazemos um pequeno comentário, uma brincadeira – e eis que a pessoa chora, ou se revolta.

Uma lenda do deserto conta a história de um homem que ia mudar-se de oásis, e começou a carregar seu camelo.

Colocou os tapetes, os utensílios de cozinha, os baús de roupas – e o camelo aguentava tudo. Quando ia saindo lembrou-se de uma linda pena azul que seu pai lhe tinha presenteado.

Resolveu pegá-la, e a colocou em cima do camelo. Neste momento, o animal arriou com o peso, e morreu.

?Meu camelo não aguentou o peso de uma pena?, deve ter pensado o homem. Às vezes pensamos o mesmo do nosso próximo – sem entender que nossa brincadeira pode ter sido a gota que transbordou a taça do sofrimento.

Compartilhe:

Nenhum Comentário

Pessoas e Navios

images3FPG2M1M

 

A construção de um navio parece com a formação das pessoas.

Durante a gestação o casco é construído, até que somos lançados ao mar.

Um navio fica pronto quando sai do estaleiro, mas com a gente é diferente – e este é o desafio de cada um, pois crescemos todo dia e nunca ficamos prontos.

Não existe navio que não tenha passado por tempestades e muitos afundam por não saberem evitá-las, por falta de comunicação ou por acharem que não precisam dos outros.

Mas não existe tempestades que durem para sempre, assim como os dias de sol também não são permanentes.

Dor e frustrações muitas vezes são resultado de querermos perpetuar momentos de prazer, bem-estar, alegria, que por si só são efêmeros e com que facilidade esquecemos que nada é eterno – e que, por isso, momentos de alegria se alternam com momentos de tristeza, dor se alterna com prazer, fome com saciedade, um sempre dando lugar ao outro.

Quando a gente para de tentar lutar contra isso , descobrimos que, acima de tudo, a vida vale a pena ser vivida.

Compartilhe:

Nenhum Comentário

Vida Simples

untitled

 

Fui criado com princípios morais comuns: Quando eu era pequeno, mães, pais, professores, avós, tios, eram autoridades dignas de respeito e consideração.

Quanto mais próximos ou mais velhos, mais afeto.

Inimaginável responder de forma mal educada aos mais velhos, professores ou autoridades? 

Tínhamos medo apenas do escuro, dos filmes de terror?.

Hoje me deu uma tristeza infinita por tudo aquilo que perdemos

Direitos humanos para criminosos, deveres ilimitados para cidadãos honestos.

Não levar vantagem em tudo significa ser idiota.

Pagar dívidas em dia é ser tonto.?

Anistia para corruptos e sonegadores?.

O que aconteceu conosco?

Professores maltratados nas salas de aula, comerciantes ameaçados por traficantes, grades em nossas janelas e portas.

Que valores são esses?

Bens materiai que valem mais que abraços.

Uma tela gigante vale mais que uma boa conversa.

Mais vale parecer, do que ser?.

Quando foi que todos os verdadeirosvalores desapareceram ou se tornaram ridículos?

Queremos arrancar as grades d enossas janelas para podermos tocar as flores!

Queremos a honestidade como motivo de orgulho.

Queremos a vergonha na cara e a solidariedade, a retidão de caráter, a cara limpa e o olhar olho no olho, a esperança, a alegria, a confiança! 

Abaixo o ?TER?, viva o ?SER!?

E viva o retorno da verdadeira vida, simples como a chuva, limpa como um céu de primavera, leve como a brisa da manhã!

Quero ter de volta o mundo simples e comum.

Onde existam amor e solidariedade como bases.

Vamos voltar a ser ?gente.?

Construir um mundo melhor, mais justo, mais humano, onde as pessoas respeitem as pessoas.

?Nossos filhos merecem e nossos netos, certamente nos agradecerão!

Compartilhe:

Nenhum Comentário

A Balança

untitled

 

Quando menino eu vivia brigando com Beto, meu melhor amigo Beto. Um dia, quando corri para casa e procurei mamãe para queixar-me. Ela me ouviu e disse o seguinte:

- Vai buscar a sua balança e os blocos.

- Mas, o que tem isso a ver com o Beto?

- Você verá? Vamos fazer uma brincadeira. Primeiro vamos colocar neste prato da balança um bloco para representar cada defeito do Beto. Conte-me quais são.

- Fui relacionando-os e certo número de blocos foi empilhado daquele lado.

- Você não tem nada mais a dizer? Eu não tinha e ela propôs: Então você vai, agora, enumerar as qualidades dele. Cada uma delas será um bloco no outro prato da balança. Ele não deixa você andar em sua bicicleta? Não reparte o seu doce com você? Ela foi colocando os blocos do outro lado. De repente eu percebi que a balança balançava. Mas vieram outros e outros blocos em favor do Beto.

Dei uma risada e mamãe observou:

Você gosta do Beto e ficou alegre por verificar que as suas boas qualidades ultrapassam os seus defeitos. Isso sempre acontece, conforme você mesmo vai verificar ao longo de sua vida.

Através dos anos aquele pequeno incidente de pesagem tem exercido importante influência sobre meus julgamentos. Antes de criticar uma pessoa, lembro-me daquela balança e comparo seus pontos bons com os maus.

E, felizmente, quase sempre há uma vantagem compensadora, o que fortalece em muito a minha confiança nas pessoas.

Compartilhe:

Nenhum Comentário

Equilíbrio

untitled

 

Havia um rei que ofereceu um grande prêmio ao artista que fosse capaz de captar numa pintura a paz perfeita. 

O rei observou e admirou duas de que ele realmente gostou e teve que escolher entre ambas.

A primeira era um lago muito tranquilo.

Este lago era um espelho perfeito onde se refletiam umas plácidas montanhas que o rodeavam. Sobre elas encontrava-se um céu muito azul com tênue nuvens brancas. Todos os que olharam para esta pintura pensaram que ela refletia a paz perfeita.

A segunda pintura também tinha montanhas.

Mas estas eram escabrosas e estavam despidas de vegetação. Sobre elas havia um céu tempestuoso do qual se precipitava um forte aguaceiro com faíscas e trovões. Montanha abaixo parecia retumbar uma espumosa torrente de água.

Tudo isto se revelava nada pacífico.

Mas, quando o rei observou mais atentamente, reparar que atrás da cascata havia um arbusto crescendo de uma fenda na rocha.

Neste arbusto encontrava-se um ninho. Ali, no meio do ruído da violenta camada de água, estava um passarinho placidamente sentado no seu ninho. Paz perfeita.

O rei escolheu a segunda. 

“Porque” explicou o rei?: “paz não significa estar num lugar sem ruídos, sem problemas, sem trabalho árduo ou sem dor.”

“Paz significa que, apesar de se estar no meio de tudo isso, permanecemos calmos no nosso coração.” “Este é o verdadeiro significado da paz!”

Compartilhe:

Nenhum Comentário

Questão de Ética

untitled

 

Ele estava passando suas compras pelo caixa do supermercado.
A caixa de leite era pesada, então ele perguntou:
- É necessário que eu retire a caixa de leite do carrinho?
- Não, não é necessário, eu sei o código!

Então, ele terminou de colocar suas compras no caixa e passou o carrinho. Pagou, e se dirigiu ao carro. Colocou suas compras no porta malas, e como de hábito, pegou o ticket do caixa e conferiu para ver se estava tudo certo. Mas qual não foi a sua surpresa ao constatar que a caixa de leite não havia sido registrada. A moça se esqueceu.
Ele olhou para sua esposa e comentou:
- A moça do caixa esqueceu de registrar o leite…

- Poxa, que bom! Vamos embora antes que ela perceba…

- Isso não está certo! Provavelmente ela terá que pagar de seu bolso!

- Mas como vão saber que a caixa de leite passou justamente por aquela caixa!?

- Verdade, realmente não terão como saber… Mas… Ainda assim, isso não está correto!

- Ahhh, vamos embora!

Ele, sem dizer mais uma palavra, abriu a porta do carro e
voltou ao caixa…
A moça já estava atendendo outra pessoa, então ele disse:
- Moça, com licença… A senhora se esqueceu de passar a caixa de leite!

Ela o olhou como se estivesse olhando para um extraterrestre…
Pegou o ticket e conferiu…
- É, realmente me esqueci… Um minuto, por favor…

Terminou de passar as compras da pessoa que estava
atendendo e depois
olhou e disse:
- São R$ 43,20!
- Aqui está!

Pagou, e se dirigiu ao carro…

A caixa o acompanhou com os olhos até entrar em seu carro, que estava estacionado logo á frente.
Sua esposa também o olhou como se ele fosse um extraterrestre…
Mas ele, sem dizer uma palavra, ligou seu carro e partiu… Com R$ 43,20 a menos na carteira, mas com sua consciência tranquila, e com sensação de dever cumprido…

Compartilhe:

Nenhum Comentário

Liberdade

imagesV08OK3WJ

 

A busca da liberdade sempre foi uma constante na história da raça humana.

Ela compõe o conjunto dos elementos que habitualmente se imagina sejam necessários ao bem-estar das criaturas.
Parece de pouca serventia possuir alguns bens, da espécie que sejam, sem a liberdade de desfrutá-los.

Para ser livre, muitas vezes o ser humano trilha caminhos tortuosos.

O vocábulo costuma referir-se antes à perda da vergonha e do pudor, à deserção de compromissos assumidos.

Ser livre, nesse contexto, possui o estranho significado de vivência desequilibrada da sexualidade, do cultivo de vícios que podem destruir a saúde física, mental e emocional.

Ocorre que afrontar a sociedade, sem qualquer finalidade superior, não possui o condão de libertar ninguém.

Chafurdar em vícios e desatinos também está longe de ser conduta libertadora. Em um mundo massificado, é compreensível as pessoas desejarem distinguir-se de algum modo.

Contudo, há maneiras muito mais nobres de conseguir isso do que pela adoção de comportamentos exóticos e chocantes, mas estéreis.
Por exemplo, a prática das virtudes cristãs, como a caridade, a humildade e a pureza, é sempre um fator de distinção.

Por mais que seja dúbio o significado da expressão ‘liberdade’, ela com certeza não se identifica com a adoção de hábitos que conduzem à doença e à desarmonia.

Jesus afirmou que o conhecimento da verdade nos libertaria. De fato, uma compreensão mais aprofundada das leis da vida, ao despir o homem de suas ilusões, livra-o da mesquinhez, do egoísmo e do orgulho.

Como esses vícios são os que tornam mais penosa à convivência na Terra, sua ausência implicaria em imediato acréscimo de bem-estar para todos.
Tendo em vista que a árvore se identifica pelos seus frutos, a liberdade sob esse prisma é algo muito desejável.

Assim, ao buscar sua liberação, reflita sobre o que ela significa.

Não confunda liberdade com libertinagem, nem felicidade com deserção do dever. No convívio familiar ou social, é impossível ser totalmente livre.

Os seus direitos terminam onde começam os direitos do seu próximo.
A completa libertação possível é a das paixões, dos instintos inferiores, que tanto infelicitam a humanidade.

Ao traçar as metas de sua vida, busque antes libertar-se da dor e do desequilíbrio.
Para tal, um padrão de conduta reto e equilibrado, marcado pelo bom-senso, sempre será o melhor roteiro.

Compartilhe:

Nenhum Comentário

Dependa de DEUS

untitled

 

Você não pode alterar seu passado, mas as páginas do seu futuro estão completamente brancas.

A felicidade tão sonhada vai chegar, apesar dos momentos de desânimo.

Todavia, a transformação não é tarefa sua, embora você tome parte no processo.

Sua responsabilidade é descobrir a vontade de Deus e obedecê-la. Reconheça-o como o idealizador, condutor e protetor da sua vida; Ele é o edificador por excelência e lhe dará esperança e coragem.

Dependa de Deus para que este desenvolvimento saudável e dinâmico aconteça.

Compartilhe:

Nenhum Comentário

Cobiça

untitled

 

Era uma vez um cão, que ia atravessando um rio. levava na boca um suculento pedaço de carne.

Porém, viu na água do rio a sombra da carne, que era muito maior.

Prontamente ele largou seu pedaço de carne e mergulhou no rio para pegar o maior.

Nadou, nadou e não achou nada, e ainda perdeu o pedaço que levava.

Moral da história: Nunca deixes o certo pelo duvidoso. De todas as fraquezas humanas a cobiça é a mais comum, e é, todavia a mais castigada.

Compartilhe:

Nenhum Comentário